Edição 324

Cadastre-se e receba nossas edições gratuitamente

Os riscos de uma grande cidade

Entretidos no corre-corre cotidiano, nem nos damos conta das grafites e pichações inseridas na paisagem, principalmente nos grandes centros urbanos. E o que dizer das ”pixações”, aqueles riscos incompreensíveis, geralmente, alojados nas partes mais inacessíveis dos prédios e monumentos públicos? Antes de tacharmos simplesmente de “coisa de marginal”, é melhor bater um papo com Alexandre Barbosa Pereira, professor do Departamento de Ciências Sociais da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). Ele se deu ao trabalho de localizar alguns dos autores desses riscos ...

Evolução pela metade

Livro contesta Charles Darwin e outros cientistas, que sempre colocaram as mulheres abaixo dos homens no processo evolutivo

O GRANDE NATURALISTA CHARLES DARWIN, autor da teoria da evolução das espécies, arranjou uma encrenca danada com as feministas do final do século 19, ao declarar numa carta que “as mulheres, conquanto, em geral, superiores aos homens em qualidades morais, são inferiores em termos intelectuais...” O missivista foi além, ao escrever que lhe parecia muito difícil, “a partir das leis da hereditariedade (se ele as compreendia de forma correta), que elas viessem a se tornar intelectualmente iguais ao homem”. A carta era uma resposta a um questionamento de Caroline Kennard, destaque no movimento feminista de Brookline ...

Não se perca pelo caminho

Antes de embarcar neste 2019 que se inicia, não faça planos a esmo. Trace sua rota, descubra os percalços e atalhos e faça uma boa viagem!

TODO FIM DE ANO É SEMPRE a mesma coisa: a aproximação do réveillon é prenúncio de novos tempos, novos ares, de esperança que se renova. Milhares de brasileiros e de brasileiras decidem que o próximo ano será melhor e que é chegada a hora de alcançar aqueles objetivos há muito perseguidos. Nasce, assim, a lista de resoluções para o próximo ano. Foi feito até um levantamento das mais populares ...

Passe dos 100 você também!

Mostramos cinco regiões do mundo, onde são altos os índices de pessoas que chegam e até ultrapassam os 100 anos de idade

O TRÂNSITO, A POLUIÇÃO DOS GRANDES CENTROS, os excessos e atribulações do dia a dia não deixam esperança e espaço para que tenhamos uma vida realmente saudável. São poucos os que conseguem ultrapassar esses obstáculos e chegar a idades mais avançadas. A exceção está entre os moradores das chamadas “Zonas Azuis”, cinco regiões do planeta onde muitos chegam aos 100 anos, a taxas até 10 vezes maiores do que a dos Estados Unidos, por exemplo. Aliás, no Brasil, temos uma dessas “zonas azuis”, em proporções menores, representada pelo município de Veranópolis, na Serra Gaúcha ...

Na dúvida, faça uma fé

Até a ciência já reconhece o papel da espiritualidade na saúde dos seres humanos

APESAR DE MUITA GENTE COLOCAR ciência e religião em campos completamente opostos, um dos maiores cientistas que o mundo já conheceu, Albert Einstein, costumava dizer: “A ciência sem a religião é manca; a religião sem a ciência é cega.” E ele não está só: a cada dia, mais pesquisadores, médicos e profi ssionais de saúde em geral concluem que a fé e a ciência não se opõem, aliás, podem ser grandes aliadas. Em entrevista à revista Superinteressante, o médico Paulo de Tarso Lima, do setor de oncologia do Hospital Israelita Albert Einstein, relatou que sempre pergunta aos pacientes sobre sua fé ...

Ô frutinha abençoada!

Se as pessoas conhecessem os benefícios do cambuci, na mesa e para a saúde, todos iriam querer ter um pé da fruta no quintal

QUASE TODO MUNDO JÁ OUVIU FALAR DO CAMBUCI, bairro localizado próximo da Praça da Sé, o marco zero paulistano. O que poucos sabem é que o nome faz referência à fruta do cambucizeiro (Campomanesia phaea Landrum), árvore originária da Mata Atlântica, muito comum na região à época da colonização. Exótica, é o mínimo que se pode dizer dessa fruta, que mais parece um balão achatado, ou um disco voador (para os mais visionários), bastante ácida e riquíssima em vitamina C e outros nutrientes. Vai bem em receitas doces e salgadas, além de temperar uma boa cachaça. Isso sem falar de suas propriedades medicinais ...

Quase deu ruim para o Papai Noel!

Alguns episódios que comprovam como anda difícil a vida do bom velhinho lá fora e, principalmente, em terras brasileiras

MESMO QUE O NATAL JÁ TENHA PASSADO, nunca é demais falar de um dos personagens mais emblemáticos destes tempos natalinos: o Papai Noel. Esperamos que ele tenha superado os problemas advindos do pedido de falência de seu escritório, lá no Polo Norte – a vida não está fácil pra ninguém. Os presentes deste ano foram entregues como de costume, embora não com a mesma eficiência, é claro. Convenhamos que o nível de exigência da garotada subiu muito. Saem de cena o caminhãozinho de madeira, a bola, o pião, peteca, fogãozinho, boneca, essas coisinhas; entram drones, smartphones, videogames, tudo do mais caro ...

Cadastre-se e receba nossas edições gratuitamente

Voltar para Página Principal